Casos de dengue aumentam na região de Ribeirão Preto – Comando VP
Início » Destaque » Casos de dengue aumentam na região de Ribeirão Preto
Mosquito macro photography

Casos de dengue aumentam na região de Ribeirão Preto

Infectologista do Sistema Hapvida traz dicas de prevenção e principais cuidados com a doença 

 

O número de casos prováveis de dengue no Brasil, neste ano, registrou um aumento de 104,5% em comparação com 2021, segundo boletim epidemiológico divulgado pelo Ministério da Saúde. De acordo com o levantamento, foram registrados quase 465 mil casos prováveis da doença e 131 óbitos confirmados. 

Na região de Ribeirão Preto, essa alta nos casos de dengue também foi verificada. Por isso, a infectologista do Sistema Hapvida, Sílvia Fonseca, traz dicas de prevenção e orientações relevantes com relação à doença.

“O primeiro ponto de alerta é que a dengue pode matar”, frisa. “Por isso, é importante procurar o sistema de saúde aos primeiros sinais de febre, dor atrás dos olhos e dor de cabeça forte. Além de qualquer um dos sinais de alarme, que significa que a doença está evoluindo pior, sendo eles: dor abdominal, sangramentos espontâneos, tontura ao levantar, diminuição da urina, grande prostração e vômitos sem parar”, lista a infectologista.

Sílvia explica que crianças, gestantes, idosos, pessoas com problemas no coração, rins e pulmões, ou que tenham tido dengue anteriormente são mais propensas a desenvolverem uma forma mais grave da doença. 

Sintomas

Durante os cinco primeiros dias da dengue é normal o paciente apresentar fraqueza, náusea/vômito, diarreia, dor de cabeça, dor no corpo ou nas articulações. Por isso, manter a hidratação é muito importante.

“A hidratação é o único tratamento conhecido para a dengue. Assim, a pessoa deve beber de 4 a 5 litros por dia, seja de água, sucos ou ainda soro de reidratação”, orienta a médica do Hapvida. 

Prevenção

A principal forma de prevenir a dengue é a eliminação de criadouros do mosquito Aedes aegypti. Dados da Vigilância Sanitária do Estado de São Paulo mostram que 80% dos focos estão nas residências, mais precisamente nos vasos de planta, vasos sanitários, piscinas de crianças, potes vazios e até tampinhas de garrafas.

Por isso, é fundamental evitar o acúmulo de água parada, onde ocorre a proliferação do mosquito transmissor. Medidas como deixar garrafas e recipientes com a boca para baixo, limpar e encher os pratos de vaso de plantas com areia, manter lixeiras tampadas, e ralos e calhas limpas são simples e podem impedir a proliferação do mosquito e combater a dengue.

 

Compartilhar

Seu comentário é de sua inteira responsabilidade. Não reflete nossa opinião.

Deixe o seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com




PGlmcmFtZSBzcmM9Imh0dHBzOi8vZDZvanc5c3Q4OW8zby5jbG91ZGZyb250Lm5ldC9CUkdhbGxlcnkvaW5kZXgucGhwL3BsYXllci92aWV3L2VsZWdhbnRlMTsxNzc7NTk7WkRNMmJuSXdkVE40YldNMGJXMHVZMnh2ZFdSbWNtOXVkQzV1WlhRdmFXNWtaWGd1Y0dod0wyRndhUzl6ZEhKbFlXMXBibWN2YzNSaGRIVnpMemd5T0RBdk16Y3lNV1pqT0dGak5UQTROamhtWVRBNU9UbGlNalEzTUdVeFpEaGpZelF2YzJWeWRtbGtiM0l6Tmk1aWNteHZaMmxqTG1OdmJRPT07ZmFsc2UiIGJvcmRlcj0iMCIgc2Nyb2xsaW5nPSJubyIgZnJhbWVib3JkZXI9IjAiIGFsbG93VHJhbnNwYXJlbmN5PSJ0cnVlIiBzdHlsZT0iYmFja2dyb3VuZC1jb2xvcjogbm9uZTsiIHdpZHRoPSIxNzciIGhlaWdodD0iNTkiPjwvaWZyYW1lPg==
ARE YOU READY? GET IT NOW!
Increase more than 500% of Email Subscribers!
Your Information will never be shared with any third party.
Curta nossa Fan Page
Visite nosso site!
Visite nosso site!
Casa de Carne Milaré
STUDIOK
Jantar Dia das Mães
Imobiliária Cardinali 
 - Informe publicitário
Fechar
Classificadão São Carlos