Suspeito de matar jovem a golpes de faca deverá se apresentar à DIG – Comando VP
Início » Destaque » Suspeito de matar jovem a golpes de faca deverá se apresentar à DIG

Suspeito de matar jovem a golpes de faca deverá se apresentar à DIG

Almir José Gomes Nascimento, 38 anos, natural de Rio Formoso-PE e morador do Jardim Victorio De Santi, em Araraquara-SP, procurou a DIG (Divisão de Investigações Gerais), por meio de seus advogados, para tratar da sua apresentação voluntária e esclarecer a morte de Kênya Regina Silveira de Oliveira, de 21 anos.Clique aqui e veja matéria relacionada

O crime aconteceu no estacionamento  próximo à residência da vítima, no cruzamento da Avenida Feijó,  com a Rua Expedicionários do Brasil.

Durante uma discussão no local, ele pegou uma faca e golpeou o pescoço de Kênya, que chegou a andar até o portão sem conseguir pedir ajuda e morreu com o celular na mão.

A vítima pagava mensalmente uma vaga no estacionamento para guardar o veículo que Almir, suposto namorado, teria  dado  de presente para ela, uma motocicleta Ninja Kawasaki de cor verde.

A felicidade do casal foi registrada por uma postagem em uma rede social da concessionária onde o veículo foi adquirido, o que teria causado uma discussão da vítima com sua outra namorada, forçando o fim do relacionamento com o autor do crime, segundo uma testemunha.

Muitas hipóteses surgiram durante a apuração dos fatos, o que dificultou o trabalho da Polícia Civil. Testemunhas afirmavam que o veículo usado pelo criminoso seria um VW/Jetta de cor preta, mas foi confirmado posteriormente se tratar de um GM/ Prisma de cor preta.

Ainda durante o final de semana, a DIG já sabia quem era o autor e fechava o cerco para prendê-lo. Durante as diligências, um amigo do autor chegou a ser preso por porte ilegal de arma de fogo.

O trabalho de investigação seguiu em sigilo para que o autor fosse encontrado. Na casa de Almir foram encontrados indícios da obsessão pela vítima, bem como de sua fuga da cidade.

Através de informações de parentes, amigos e pessoas ligadas a Kênya, ela passou a sofrer “stalking” (perseguição obsessiva), por parte do autor, que procurava entender o fim do relacionamento e o distanciamento, após a aquisição do veículo.

Ela teria desabafado a uma testemunha, que não sabia mais o que fazer para se livrar das invasões de sua privacidade e perseguições até no local onde trabalhava.

Em contato com um dos advogados do acusado, ele disse que o essencial é deixar claro que Almir tinha duas opções: se ocultar ou enfrentar a justiça e a opinião pública. Ele preferiu a segunda opção e sabe da repercussão do caso e sobre o que comentam a respeito. A decisão do autor do crime é se entregar à Polícia. Segundo a defesa, o crime não foi premeditado e as investigações comprovarão essa tese.

Almir era motorista em uma distribuidora de bebidas há 10 anos e era considerado uma pessoa calma e um excelente funcionário, segundo amigos de profissão.

Foto e fonte: portal morada

Compartilhar

Seu comentário é de sua inteira responsabilidade. Não reflete nossa opinião.

Deixe o seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.





Curta nossa Fan Page
Visite nosso site!
Visite nosso site!
Casa de Carne Milaré
STUDIOK
DEMILLUS
Jantar Dia das Mães
Classificadão São Carlos
Classificadao grátis