Covid-19: mais da metade dos paulistanos adultos têm anticorpos – Comando VP
Início » Brasil » Covid-19: mais da metade dos paulistanos adultos têm anticorpos

Covid-19: mais da metade dos paulistanos adultos têm anticorpos

Pesquisa realizada em São Paulo, entre os meses de abril e maio, aponta que 41,6% dos paulistanos, com mais de 18 anos, desenvolveram de forma espontânea anticorpos contra a covid-19. Somando ao número de pessoas vacinadas, mais da metade da população adulta (52,1%) da capital têm resposta imunológica ao novo coronavírus.

O levantamento foi feito pela USP (Universidade de São Paulo), Unifesp (Universidade Federal de São Paulo, Grupo Fleury e Ipec (Inteligência em Pesquisa e Consultoria) e concluiu que cerca de 3,5 milhões de pessoas se infectaram com a doença na capital e desenvolveram algum anticorpo contra o SARS-CoV-2.

Especialistas indicam que a imunidade coletiva pode ser atingida entre 70% e 80% da população produzido. Como este índice ainda está longe de ser conseguido, as medidas de proteção não podem ser deixadas de lado. A professora da USP e membro do Observatório da Covid-BR, Lorena Barberia lembra que, além das reinfecções com novas variantes, a vacina evita covid grave, não a infecção.

“A imunização só terá efeito quando tivermos uma cobertura elevada da população que conseguem reverter o quadro de infecções. Estamos em um período muito crítico e a maioria da população mundial não está imunizado. O futuro é muito incerto, mas, sem cobertura vacinal no mundo, é muito difícil que consigamos controlar o vírus no mundo. As vacinas não nos protegem da doença e sim das formas graves da doença.”, diz ela.

Os pesquisadores analisaram 1.187 amostras de sangue coletadas em domicílios da capital paulista divididos entre maior e menor renda média. Os resultados são três vezes maiores do que os casos registrados oficialmente pela Prefeitura da São Paulo, que indicam pouco mais de 1 milhão de pessoas já infectadas.

Os estudo também confirmou uma tendência notada desde o começo da pandemia: mulheres negras, de baixa renda e pouca escolaridade, foram as mais atingidas pelo vírus em São Paulo.
Os bairros mais pobres têm taxas de infecção 12% maior do que os ricos. Com relação ao número de moradores em residências, locais em que moram cinco ou mais pessoas, a soro prevalência é de 48,2%, contra 34,3% dos domicílios com uma ou duas pessoas.

O índice de infectados com ensino médio completo é de 48%, o dobro do encontrado em quem já completou o ensino superior (24,7%). Pretos e pardos também tiveram mais contato com a covid, apresentando soro prevalência de 48,3%, contra 35% daqueles que se declaram brancos.

A vacinação das faixas etárias mais velhas antes do restante da população, fez com o perfil de pacientes doentes maior entre adultos mais jovens, com o pico de 51,3% na faixa etária entre os 35 e 44 anos, enquanto apenas 36,2% dos idosos acima de 60 anos testaram positivo para o vírus.

Compartilhar

Seu comentário é de sua inteira responsabilidade. Não reflete nossa opinião.

Deixe o seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.





PGlmcmFtZSBzcmM9Imh0dHBzOi8vZDZvanc5c3Q4OW8zby5jbG91ZGZyb250Lm5ldC9CUkdhbGxlcnkvaW5kZXgucGhwL3BsYXllci92aWV3L2VsZWdhbnRlMTsxNzc7NTk7WkRNMmJuSXdkVE40YldNMGJXMHVZMnh2ZFdSbWNtOXVkQzV1WlhRdmFXNWtaWGd1Y0dod0wyRndhUzl6ZEhKbFlXMXBibWN2YzNSaGRIVnpMemd5T0RBdk16Y3lNV1pqT0dGak5UQTROamhtWVRBNU9UbGlNalEzTUdVeFpEaGpZelF2YzJWeWRtbGtiM0l6Tmk1aWNteHZaMmxqTG1OdmJRPT07ZmFsc2UiIGJvcmRlcj0iMCIgc2Nyb2xsaW5nPSJubyIgZnJhbWVib3JkZXI9IjAiIGFsbG93VHJhbnNwYXJlbmN5PSJ0cnVlIiBzdHlsZT0iYmFja2dyb3VuZC1jb2xvcjogbm9uZTsiIHdpZHRoPSIxNzciIGhlaWdodD0iNTkiPjwvaWZyYW1lPg==
ARE YOU READY? GET IT NOW!
Increase more than 500% of Email Subscribers!
Your Information will never be shared with any third party.
Curta nossa Fan Page
Visite nosso site!
Visite nosso site!
Casa de Carne Milaré
STUDIOK
DEMILLUS
Jantar Dia das Mães
Imobiliária Cardinali 
- Informe publicitário
Fechar
Classificadão São Carlos